Long sweet Board

Olá surfers!

Para os amantes de pranchas, pranchinhas e pranchetas, vamos a mais informações sobre os tipos de boards, no que se diferenciam e no que influenciam em desempenho e estilo/perfil de surf.

Se resgatarmos na história, evoluímos muito em materiais e equipamento, exercícios para condicionamento etc, para o melhor aproveitamento de atletas (profissionais ou amadores). Mas tem coisas que não mudam, pelo contrário. Há estilos que mantêm-se vivos, como os clássicos longboards.

HISTORIA

As primeiras pranchas de espuma e fibra de vidro, foram construídas no final da década de 50, na Califórnia.

Essas pranchas eram usadas em locais como Rincon-Delmar, Redondo, Winlansea, Trestles e Malibu e, por algum motivo desconhecido, esta última deu o nome as pranchas.

Nos anos 60 os californianos eram mestre no uso dessas pranchas, nomes como Mickey “Mr. Malibu” Dora, foi um dos primeiros atletas a incentivar a cultura do surfe durante as décadas de 50 e 60 e sua fama de rebelde e carisma lhe renderam apelidos como “Da Cat” (o gato) e “King of Malibu” (rei de Malibu). Foi a época que surf era a graciosa arte de passear a prancha, onde o cutback era a maior manobra.

A medida que o surf evoluiu a pranchas se tornaram menores e o surf malibu foi desaparecendo gradualmente. Durante quase vinte anos a técnica original só pode ser vista na Califórnia, onde os surfistas dos velhos tempos ainda usam Malibu.

Em dado momento do início da década de 80, em Byron Bay, na Austrália houve um retorno daquele que se concretizou como estilo Malibu, atualmente conhecido como “longboard”, assim não demorou muito até os fabricantes voltarem a produzir o estilo clássico.

Alguns defendem que “quanto mais clássico melhor”, um desses é  Joel Tudor, longboarder clássico, treinado por uma lenda do surf Nat Young onde aprendeu a essência do surf.

Joel Tudor longboarder

Joel Tudor

“Joel Tudor é o mais clássico de todos. Em condições de mar pequeno ele é quase imbatível.” Disse Augusto César Saldanha, surfista profissional do WLT (World Longboard Tour – Atual elite do longboard profissional – ASP)

 

TIPO DE PRANCHA

noserider-produktbild

São as famosas pranchas grandes, com tamanho a partir de 9”. Eram as mais usadas até a década de 70. São boas para iniciantes, sendo também usadas por profissionais, principalmente os das antigas e os experientes.

Para quem está começando o longboard é uma das melhores alternativas para pegar intimidade com a prancha e o mar.

Por ela ser mais longa e larga, possibilitando melhor flutuação, auxilia quem está a prendendo a ficar em pé, e controlar o equilíbrio e o controle.

 

ESTILO

Surf com manobras mais suaves, e que possibilitam caminhadas até o bico. Com alguns modelos se é possível fazer manobras como rasgadas e batidas, entretanto há quem prefira o estilo clássico.

Uma de nossas queridinhas inspiradoras estão a Kelia Moniz e a brasileira Chloé Calmon.

My #SUMMERSun @roxy || @tyhaft Full link in B I O

A video posted by Kelia Moniz (@keliamoniz) on

 

Sou muito suspeita pra falar, mas essa categoria no surf me encanta muito..

Mesmo começando com minha fun… (já estou escolhendo um longboard)

ALOHA!

1° Encontro das Longboard Surf Girls

No último fim de semana, aconteceu o evento organizado pela longboard Kelly Fernandes.

O evento rolou em clima de muita descontração ao som da banda Mr Pipe, no quiosque Marimar – Recreio dos Bandeirantes Posto 11, onde pode reunir grande parte das meninas cariocas que surfam de longboard.

No dia do evento, rolou uma grande surpresa para as meninas do grupo, que foi a entrega de troféu e premiação, pois no decorrer do mês antecedendo o dia do  evento, as meninas estavam sendo avaliadas pelo Longboard profissional e técnico Allan Gandra onde junto com o também longboard Rafael Carvalho, puderam avaliar cada onda surfada e decidir nos mínimos detalhes as 6 finalistas de cada categoria, os troféus foram entregues pelo longboard profissional Caio Teixeira que prestigiou as meninas do grupo, tivemos duas presenças ilustres também que foi o carioca Marcelo Freitastricampeão mundial de longboard no ISA Games, que deu uma palavra de incentivo e apoio ao longboard feminino, e o também carioca Phil Rajzmancampeão mundial de longboard ASP 2007.

Não foram só as finalistas que foram presenteadas, a organizadora Kelly Fernandes teve todo o cuidado e carinho de presentear todas as meninas do grupo que estiveram presentes, além de receberem os kits, tiveram sorteios das marcas patrocinadoras.

O resultado das finalistas ficou assim:

Maior Onda Surfada: Roberta Mendes

NoseRider: Jasmim Avelino

Maior N° de Ondas surfadas: Fabiana da Silva Jaccoud 

WipeOut: Eliane Cordeiro

Onda Mais Longa: Caroline Garcez

Drop Radical: Marcela Soares

O movimento L.S.G (Longboard Surf Girls), tem o intuito de reunir não só meninas do Rio de Janeiro, mais de todo o Brasil como já vem acontecendo, pois já tem meninas participantes do grupo que são de Santa Catarina, João Pessoa, SP – Ubatuba – Maresias e Santos.

Agradecimento aos apoiadores técnicos: Allan Gandra@allangandraphotography e Rafael Carvalho.

Marcas apoiadoras: Lakini, Sicrupt, Harpia Consulting, PoiPoi, Aloha Veiculos, Armazem Gaia, Fit Food, SurfArt, IsaSoul, HulaHula, Reciclarte, Florar, Moea, Roza dos ventos, Crowd Florido, VibeCarioca, Veesh, Encanto de Sereia, Ocean, Mar de Lotus e Parafina oficial.

ATENçÃO: Próximo encontro será em SP – Litoral Norte.

 

Rede social: Insta @longboardsurfgirls , Facebook: Longboard Surf Girls

Festa Julina é no mar

Festa Julina é no mar, com o grupo Almar.

Já estamos na metade do ano e é mês de JULHO. Ainda dá tempo de aproveitar muitas festas julinas e muitos arraiás…. para curtir da melhor maneira esse momento, surgiu o CAIPISURF (Grupo Almar), organizado pela longboarder Mariana Pantera.

A realização da segunda edição (a primeira em 2015) Mariana Pantera convidou o grupo L.S.G – Longboard Surf Girls que tem como gerenciadora a longboarder Kelly Fernandes.

O união dos dois grupos reuniu beleza, talento, muito surf na de ponta, muita atitude e muita energia positiva que deixou a manhã dessa terça-feira 12/07 – Posto 3 Barra da Tijuca, muito mais radiante, o cenário natural já estava perfeito com ondas de 0,5 metro, terral fraco e uma manhã de sol em pleno inverno carioca.

O pico foi dominado pelas meninas dos dois grupos que se uniram para se confraternizarem dentro d’agua em prol do surf feminino em ritmo de arraiá, onde rolou não só muito surf mais também uma harmoniosa brincadeira onde as meninas estavam vestidas a caráter para comemorar as festas julinas.

As meninas contaram com o fotografo Allan Gandra local da Praia da Macumba e também surfista profissional de longboard. O fotógrafo deu todo o apoio às meninas e por sua lente, capturou momentos mágicos que vão ficar gravados nas memórias das meninas.

“As meninas tiveram muita atitude de encarar as ondas tubulares do posto 3 que nessas circunstancias, o grau de dificuldade é bem maior, porem rolou um show dentro d’agua, com cada uma surfando em seu próprio estilo, tais como clássico e radical. As meninas estão de parabéns ” – diz Allan.

Confira os cliques:

Por: ClickBoard

 Apoio:

Grupo Almar: Mariana Pantera (Armazém Gaia)

Longboard Surf Girls: Kelly Fernandes (Harpia Consulting)

Allan Gandra: @allangandraphotography

ClickBoard: Rafael Carvalho (Harpia Consulting)